Que remédios posso tomar antes de uma cirurgia?

A segurança do paciente cirúrgico passa também pelo planejamento dos medicamentos que devem ser administrados a ele.

Uma etapa importante nesse processo é a chamada reconciliação medicamentosa. Sua realização está associada à redução do número de eventos adversos que ocorrem durante a assistência ao paciente.

O que é a reconciliação medicamentosa?

Antes de uma cirurgia, os profissionais de saúde precisam fazer uma lista minuciosa de todos os medicamentos utilizados pelo paciente em sua rotina – como, por exemplo, remédios contra hipertensão e anticoncepcionais. 

Com essa lista em mãos, os profissionais indicam quais remédios o paciente deve ou não ingerir antes da cirurgia, no período de internação e após a alta.

Essa avaliação é feita pelos médicos, farmacêuticos e enfermeiros envolvidos no cuidado ao paciente. 

Os profissionais levam em conta, por exemplo, a possível interação com outros medicamentos dados ao paciente durante o período no hospital.

Como é feita a reconciliação medicamentosa em paciente cirúrgico?

Na avaliação pré-anestésica, o Anestesiologista identifica os medicamentos de uso habitual do paciente, e orienta se devem ser mantidos ou suspensos para a realização da cirurgia, mesmo antes da internação. 

Existem medicamentos que são contraindicados para a realização da cirurgia, como os anticoagulantes, que aumentam o risco de sangramento se ingeridos dias antes da cirurgia. Assim como é fundamental a continuidade de medicamentos como os da classe medicamentosa anti-hipertensivos.

Além disso, o Anestesiologista é responsável por avaliar a necessidade de manutenção dos medicamentos após o término da cirurgia. E assegurar a comunicação com a equipe multiprofissional para garantir a continuidade de administração durante o período de internação.

Para que todo esse processo aconteça é importante o envolvimento do paciente e da família, realizando a educação e esclarecimento das dúvidas relacionadas com os medicamentos que são necessários ou proibidos.

Os Anestesiologistas da CMA estão preparados e utilizam protocolos estruturados para garantir a realização da reconciliação medicamentosa, e consequentemente a manutenção da segurança do paciente.

Controle de Infecção: um dos objetivos do anestesiologista
Quais os possíveis efeitos colaterais da anestesia?

Publicações similares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu