Quais os possíveis efeitos colaterais da anestesia?

A anestesia é uma estratégia utilizada com o objetivo de proporcionar conforto e prevenir a dor durante procedimentos assistenciais frequentemente dolorosos ou invasivos. Existem vários tipos de anestesia, que afetam o sistema nervoso de diversas formas através do bloqueio de impulsos nervosos. A escolha vai depender do procedimento que será realizado e das condições de saúde do paciente. O anestesiologista avalia o paciente previamente ao procedimento para também identificar a possibilidade da ocorrência de efeitos colaterais e atuar preventivamente para reduzi-la.

ANESTESIA LOCAL

Envolve uma área muito específica do corpo, não afeta a consciência e é reservada para cirurgias em locais restritos e superficiais. A anestesia local praticamente não apresenta efeitos colaterais: o cuidado é na dose administrada, para que não se torne tóxica, quando pode comprometer o funcionamento cardíaco e respiratório. Além disso, reações como vermelhidão no local da aplicação podem ocorrer.

ANESTESIA GERAL

É o tipo de anestesia que pode ser utilizada em procedimento cirúrgico com maior tempo de duração e de complexidade maior, exigindo o acompanhamento contínuo do paciente pelo anestesista. O monitoramento é necessário para manutenção das condições fisiológicas e farmacológicas inerentes à cirurgia, que podem levar a alterações do funcionamento dos órgãos vitais.

Apesar de ser uma anestesia cada vez mais segura, graças à evolução da técnica e dos medicamentos utilizados, alguns efeitos colaterais podem ocorrer, como enjoo, vômito, dor de cabeça e alergia ao medicamento anestésico. Efeitos mais graves, como parada cardiorrespiratória, são raros e estão associados às condições clínicas comprometidas dos pacientes.

ANESTESIA COM BLOQUEIO REGIONAL

A anestesia regional é utilizada para anestesiar apenas uma parte do corpo, como por exemplo o braço ou a perna. É realizada por meio de injeção nos nervos responsáveis pela dor na região. Existem vários tipos de anestesia regional: anestesia peridural, anestesia raquidiana e bloqueio dos nervos periféricos, que diferem quanto ao local de administração do anestésico.

Embora raros, podem ocorrer efeitos colaterais como suor excessivo, vermelhidão ou hematoma no local da aplicação. Também calafrios e tremores (normalmente relacionados à queda da temperatura), coceira, dor de cabeça, dano no local próximo à aplicação do anestésico, alergia, queda da pressão arterial ou dificuldade para apresentar a primeira urina após o procedimento.

Os anestesistas da CMA seguem protocolos reconhecidos internacionalmente como sendo os mais seguros para reduzir as possibilidades de ocorrência de efeitos colaterais. São capacitados para atuar precocemente identificando e tratando efeitos que ocorrerem mesmo com a adoção de ações preventivas.

Que remédios posso tomar antes de uma cirurgia?
8 de Julho – Dia Mundial da Alergia

Publicações similares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu