Por que a temperatura do paciente é importante durante a cirurgia?

A diminuição da temperatura corporal durante o ato cirúrgico para menos de 36°C caracteriza a hipotermia cirúrgica, que pode comprometer o resultado esperado da cirurgia.

A hipotermia cirúrgica está relacionada a vários fatores:

  • medicamentos utilizados para a anestesia;
  • temperatura da sala cirúrgica;
  • tipo de cirurgia realizada, que pode exigir a exposição de áreas extensas do corpo e grandes cavidades ao ar ambiente, bem como tempo de exposição;
  • administração de fluidos não aquecidos ao paciente;
  • fatores relacionados ao paciente que influenciam na temperatura corporal: extremos de peso corporal, extremos de idade, doenças metabólicas e distúrbios neurológicos.

A manutenção normativa da temperatura corporal é um desafio no ambiente cirúrgico. A temperatura baixa do paciente pode ocasionar desde sensações desconfortáveis,como frio e tremores, até consequências graves como a hipotermia severa. Tais condições influenciam no resultado da cirurgia, pois aumentam o risco de infecção da incisão cirúrgica e de alterações cardíacas, tais como arritmias. A ocorrência destas complicações pode retardar a recuperação do paciente, com consequente aumento dos custos dos cuidado à saúde, além de afastá-lo por mais tempo de sua família, seutrabalho e da sociedade, o que gera impactos econômicos e emocionais muito importantes. Além das consequências clínicas, a condição de baixa temperatura durante a cirurgia influencia a percepção que o paciente tem do procedimento a que foi submetido, podendo considerar uma experiência desagradável.

Para a prevenção da hipotermia cirúrgica, intervenções são recomendadas desde quando o paciente está no quarto de internação (imediatamente antes do encaminhamento para o centro cirúrgico), até o momento que retorna a ele (após a cirurgia).

Antes da cirurgia

Pode ser necessária a realização de banho quente para aumentar a temperatura do paciente, imediatamente antes do encaminhamento ao centro cirúrgico. Em alguns casos, a manutenção da temperatura do quarto é padronizada para que o ambiente  se mantenha aquecido. O uso de cobertores é recomendado, inclusive durante o transporte do paciente ao centro cirúrgico.

No centro cirúrgico – durante a cirurgia

A manutenção da temperatura é extremamente importante. Durante a realização do posicionamento do paciente e dos procedimentos para início da cirurgia, ele será mantido aquecido com mantas e cobertores.Serão utilizados também campos cirúrgicos (tecidos colocados sobre o paciente para isolar a área da cirurgia) para que o mínimo de área possível esteja exposto para a execução da cirurgia. A monitorização da temperatura é frequente para que, caso seja necessária alguma intervenção,esta seja efetuada precocemente.

Atualmente, recomenda-se a utilização de métodos ativos de aquecimento e o que tem obtido resultados melhores e mais seguros na manutenção da temperaturaé a manta térmica ou sistema de ar aquecido forçado. Pode ser indicada a infusão de líquidos aquecidos ao paciente e sua utilização também para a irrigação de cavidades.

O desafio de manter a temperatura do paciente em níveis recomendados para o sucesso do procedimento cirúrgico é uma tarefa multiprofissional.Por isso, os anestesiologistas da CMA seguem as mais recentes recomendações científicas de intervenções que visam garantir os resultados positivos e a segurança do paciente. Além disso, o setor de qualidade da CMA realiza a análise periódica dos resultados decorrentes das intervenções, em busca da melhoria contínua do processo sempre que necessário.

8 de Julho – Dia Mundial da Alergia
Hipertermia maligna anestésica: o que é, como prevenir e tratar

Publicações similares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu